[Google I/O 2008] Dia 1

Segue um resumo do primeiro dia do Google I/O 2008.

Começou com o keynote do Vic Gundotra sobre Client, Conectivity and the Cloud. Foi basicamente um resumo dos produtos, APIs, etc que o Google está desenvolvendo e qual o futuro deles. O momento que arrancou suspiros da platéia foi o Street View do Google Maps rodando no Android e utilizando o compass. Ao girar o celular, a visão girava junto. Muito show!

Tentei assistir a Painless Python for Proficient Programmers, apresentado por Alex Martelli, mas a sala era tão pequena e estava tão lotada que foi inviável. Tive que desistir. Entrei então na apresentação de Flash API for Google Maps, do Michael Jones. Parecia ser uma apresentação de cada método da API, um a um. Fiquei apenas 2 minutos e saí. Por fim entrei na State of AJAX: The Universe Is Expanding, por Dion Almaer e Ben Galbraith, co-fundadores do Ajaxian.com. Essa parece ter sido bem interessante, mas só cheguei no fim. Mesmo assim, deu pra ver a demonstração do controle do Wii usado para comandar um jogo de dardos rodando em um browser, via AJAX! Se me lembro bem, o controle se comunicava com o computador via bluetooth; uma biblioteca em C lia os comandos e enviava para um applet rodando no browser; este por sua vez controlava o javascript!!!

Para a segunda sessão assisti Rapid Development with Python, Django and Google App Engine, do Guido van Rossum. O App Engine parece interessante. Tem tudo para vingar. Mas eu estava mais interessado no Django. Confesso que fiquei bastante decepcionado. Pelo pouco que foi mostrado, não vi uma separação clara entre controllers e views. Estranho. Rails me parece bem melhor.

Depois vi Can We Get There From Here?, por Alex Russel. Foi bem interessante. Focava em qual o futuro de desenvolvimento web. Por um lado com HTML 5, Gears e bibliotecas AJAX, que são um caminho de evolução natural para o que já existe, e que têm a vantagem de onipresença e de “padrões” abertos. Por outro, Google Web Toolkit, Flex e Silverlight, que têm a visão de que a web é um problema a ser resolvido e que tentam dar mais poder aos desenvolvedores para fazer mais em menos tempo. Foi uma discussão bem legal. Mas no final ficaram várias perguntas sem resposta, o que natural em um exercício sobre visão do futuro.

Underneath the Covers at Google lotadaUnderneath the Covers at Google foi muito bom. O Jeff Dean falou sobre o uso de máquinas baratas no Google. Basicamente, qualquer máquina – mesmo máquinas high-end – vão falhar. Então sai mais barato utilizar máquinas comuns e montar uma estrutura de monitoração, controle e redundância. Explicou sobre o sistema de arquivos distribuído que eles desenvolveram, o GoogleFS. Mostrou como funciona o MapReduce que é o algoritmo para distribuir processamento entre diversas máquinas. Falou também sobre o BigTable que é o sistema de base de dados desenvolvido internamente para aguentar a quantidade de dados que eles processam. O slide mais legal foi o que mostra todos os passos que acontecem quando alguém faz uma busca. Vendo essa palestra dá até pra ficar assustado com o poder que o Google tem nas mãos!

Por último, vi Improving Browsers in New Ways: Gears++, do Chris Prince. Basicamente ele explicou que o Gears não é um plugin para oferecer funcionalidade offline. O objetivo é melhorar a capacidade dos browsers. Muito do que é implementado pelo Gears está se tornando padrão no HTML 5. Foi interessante, mas nada de mais.

After Hours at Google I/OÀ noite teve um evento que foi muito bom. Muita comida, bebida, show da banda Flight of the Conchords. Máquinas de fliperama, Wiis, mesas de sinuca espalhadas por todos os cantos. Foi legal para conversar com algumas pessoas. Conhecemos um brasileiro que está estagiando no Google e que antes estagiava na Microsoft. Muito legal algumas observações dele sobre as diferenças entre Google e Microsoft. Uma que me impressionou é que na Microsoft eles são muito mais liberais na hora de deixar os desenvolvedores terem acesso à arvore de código; no Google eles são mais paranóicos com isso.

Para resumir, achei o conteúdo das palestras bem fraco. Nade de novo, nada de impressionante, nada de mais. A organização das salas também não foi das melhores. Foi muito comum termos salas absolutamente lotadas. Era preciso chegar cedo para garantir um lugar. Com um intervalo de apenas 15 minutos entre as sessões (inclusive para o almoço!) isso foi bem difícil de conseguir.

After Hours at Google I/OO lado positivo fica por conta das pessoas presentes, da comida e do evento à noite!

Obs.: o pessoal da organização avisou que a partir do meio da próxima semana os slides das apresentações vão estar disponíveis no site do evento.

One Response to [Google I/O 2008] Dia 1

  1. Uma pena que você achou o conteúdo fraco. Espero que no Google Developers Day aqui do Brasil o nivel esteja mais alto.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: